História da Quiropraxia

Embora a manipulação da coluna se remonte aos tempos de Hipócrates e médicos da Grécia antiga, a descoberta da Quiropraxia é atribuída a D.D. Palmer em 1895, com a primeira escola para a formação de quiropraxistas iniciada na cidade de Davenport, estado de Iowa, nos Estados Unidos da América em 1897.

Palmer desenvolveu a Teoria da Quiropraxia e seu método inspirando-se em diversas fontes, incluindo a manipulação médica, “bonesetting” e a osteopatia, como também incorporou aspectos originais desenvolvidos por ele mesmo.

O termo “Quiropraxia”, derivado de duas raízes gregas: Quiro – mãos e Praxis – praticar “praticar com as mãos”, é atribuido a D.D. Palmer e lhe foi dado por um paciente o Reverendo Samuel Weed.

A Quiropraxia se desenvolveu nos Estados Unidos da América durante um período de reformas significativas na formação médica e no seu exercício profissional. Nesta época havia uma grande variedade de opções de tratamento, tanto dentro da medicina convencional, como entre outras inúmeras abordagens alternativas no cuidado da saúde.

Datas Marcantes:


1895– D.D. Palmer desenvolve o conceito da quiropraxia e começa a praticar em Davenport, Iowa.

1897– A Escola Palmer de Quiropraxia, primeira instituição educacional em Quiropraxia, é fundada.

1905– Minnesota se torna o primeiro estado dos Estados Unidos a reconhecer e licenciar a prática da Quiropraxia. A Louisiana foi o último estado a fazê-lo em 1974.

1923– Alberta se torna a primeira província a licenciar a prática da Quiropraxia no Canadá. Ontário a seguinte em 1925, e New Foundland a última em 1992.

1933– O “Conselho dos Estados Unidos de Conselhos Estaduais Examinadores da Quiropraxia” é estabelecido, com um mandato para definir padrões unificados para a licenciatura. Renomeado “Federação de Conselhos de Licenciatura da Quiropraxia” em 1974.

1939– O cantão de Zunique, Suíça, se torna a primeira Jurisdição fora da América do Norte, a iniciar a prática da Quiropraxia.

1944– A “Fundação para Educação e Pesquisa em Quirpraxia” é estabelecida e continua sendo a principal agência da profissão para o financiamento de bolsas de estudo para pós-graduação e pesquisa.

1963– O “Conselho Nacional de Examinadores de Quiropraxia” é estabelecido para promover consistência e reciprocidade entre os conselhos examinadores dos estados.

1974– O “Conselho dos Estados Unidos de Educação em Quiropraxia” é reconhecido pelo Governo Federal como agência credenciadora para escolas de Quiropraxia. Isso leva ao aparecimento de agências credenciadoras filiadas no Canadá, Europa e Austrália/Nova Zelândia.

1979– A “Quiropraxia na Nova Zelândia”, o relatório da comissão Neo-Zelandeza de inquérito sobre a Quiropraxia é publicado. Essa foi a primeira comissão governamental judicial, ouvindo evidências sob interrogatórios cruzados, quando examinando pacientes, quiropraxistas, médicos e outros, quanto ao papel da profissão de Quiropraxia. As recomendações da comissão endossam firmemente os serviços da Quiropraxia e pedem a cooperação da Medicina. O relatório tem um tremendo impacto internacional.

1987– Uma decisão final no caso “Wilk versus Associação Médica Americana” é emitida, abrindo o caminho para uma cooperação muito maior entre médicos e quiropraxistas, na educação, pesquisa e prática nos Estados Unidos e internacionalmente.

1988– A “Federação Mundial de Quiropraxia” é formada. A “FMQ”, cujos membros são associações nacionais de Quiropraxia em mais de 70 países, passa a ter relações oficiais com a “Organização Mundial de Saúde (OMS)” como uma organização não governamental, ou “ONG”, em janeiro de 1997.

1993– O “Relatório Manga” no Canadá, o primeiro relatório comissionado pelo Governo por economistas em saúde para examinar o custo-benefício dos serviços de Quiropraxia, recomenda um papel fundamental para a Quiropraxia no caso de pacientes com dores nas costas, baseado em segurança, custo-benefício e preferência dos pacientes e conclui que isso economizará centenas de milhões de dólares, anualmente, em custos diretos com cuidados à saúde e despesas com o pagamento de empregados incapacitados de trabalharem.

1994– Painéis de especialistas financiados pelo Governo para desenvolver regras baseadas em evidências para o tratamento de pacientes com dores nas costas nos Estados Unidos (“agência para política de tratamento da saúde e pesquisa”) e no Reino Unido (“Grupo orientados de diretrizes clinicas”) proporcionam os primeiros relatórios afirmando que a manipulação é um tratamento comprovado e preferido para a maioria dos pacientes com dores lombares agudas.

1996– O Governo dos Estados Unidos inicia um financiamento oficial para uma agenda sistemática de pesquisa em Quiropraxia. Para continuar essa agenda, o “Centro Consorcial para Pesquisa em Quiropraxia” é formado em 1997, composto de Escolas de Quiropraxia, Departamentos Universitários de Pesquisa e Agências do Governo Federal. Tem como sede a Faculdade de Quiropraxia Palmer (Palmer College of Chiropractic) (Quiropraxia Uma Profissão na Área da Saúde, David Chapman-Smith)

NO BRASIL


Década de 20 – Segundo a historiografia, no Brasil a profissão é praticada livre e sem controle.

Década de 80 e 90 – Os primeiros brasileiros formados em faculdades internacionais de quiropraxia reconhecidas chegam ao Brasil e iniciam o processo de estruturação da profissão no pais dentro dos moldes estabelecidos internacionalmente.

1998 – Começo do programa da Feevale, em convenio com a Palmer College, para formar docentes para o programa de graduação, com 32 estudantes.

2000 – Duas faculdades brasileiras iniciaram as primeiras turmas de graduação em quiropraxia com duração de 5 anos, com carga horária de 4.560 horas, autorizadas e reconhecidas pelo MEC no ano 2005.

2001– Inicia na Câmara dos Deputados em Brasília os tramites do Projeto de Lei (4199/2001), que prevê a regulamentação da quiropraxia no Brasil.

2002 – O Código Brasileiro de Ocupações (CBO), na versão atualizada de 2002, traz a classificação do profissional quiropraxista no Brasil (já mencionado na edição de 1994), tendo como base os profissionais que exerciam essa ocupação no Brasil antes da década de 90.

2004 – As faculdades brasileiras de quiropraxia formam os primeiros bacharéis.

2005 – O Brasil conquista o terceiro maior volume de trabalhos apresentados no Congresso da Federação Mundial De Quiropraxia, na Austrália, através dos acadêmicos e quiropraxistas formados nas instituições brasileiras. Este fato foi repetido no ano de 2007, no Congresso da Federação Mundial de Quiropraxia, em Portugal.

2006 – Publicado em português as “Diretrizes da Organização Mundial de Saúde para a Educação e Segurança em Quiropraxia”, editada pela própria OMS, em 2004, para servir de orientação e modelo aos governos dos países onde a profissão não é regulamentada.


Em 2007

• Quatro quiropraxistas brasileiros fazem parte do Comitê Olímpico para atender os atletas do Brasil no PAN 2007, juntamente com os quiropraxistas que compõem as delegações de outros países;

• Dois quiropraxistas brasileiros compõem o Departamento de Clínica da Dor do Hospital das Clínicas da Universidade Federal da Bahia, em Salvador;

• É aprovado o plano piloto para inserção da quiropraxia na rede pública de saúde, em um município do Rio Grande do Sul, para 2008;

• O Projeto de Lei 4199/2001 que prevê a regulamentação da quiropraxia no Brasil, a exemplo que acontece no restante do mundo, de acordo com as recomendações da OMS, por já ter tramitado por todas as comissões de mérito, encontra-se pronto pauta do Plenário da Câmara dos Deputados em Brasília;

• Com 260 quiropraxistas formados no Brasil, reconhecidos pelo Ministério da Educação e pela Federação Mundial de Quiropraxia e 710 acadêmicos em curso, a ABQ completa seus 15 anos sob o alicerce de um novo horizonte para a quiropraxia no país.

Dados do site: http://www.quiropraxia.org.br